March 13, 2015

Pão-duro e recomendations

Posted in Coisas gostosas, Comida ♥, Críticas Tangerínicas, Derping Around, Devaneios gastronômicos, Dicas, Gordices, Só me fodo., Selo Fer-chan de qualidade at 1:50 am by Fer

Uma coisa engraçada que eu descobri essa semana foi algo que a vida inteira eu chamei de “espátula de silicone”, na verdade tem outro nome.

IMG_20150309_125919100

Eu queria roxa, mas só tinha amarela. Na foto, euzinha misturando o leite com o fermento na tigela de inox da batedeira pra fazer pão.

Tudo começou quando eu estava lá, de boas, fazendo um bolo lindo para estrear minha batedeira nova, daí peguei a espátula de silicone para raspar as paredes da tigela e meu pai, que já teve uma padaria, exclamou animado: “eu não sabia que esse pão-duro era seu!”. Achei estranho, pensei que ele realmente estivesse falando de um pão que estava duro em algum lugar por ter sido deixado fora do saquinho. Daí ele me explicou que pão-duro é o nome da espátula de silicone que a gente usa na cozinha.

Achei isso bem interessante, porque a ideia dessa espátula é justamente não deixar sobrar nada na tigela. É um acessório bastante útil e acho que todo mundo deveria ter uma.

IMG_20150309_131834427

Massa do primeiro pão que fiz na batedeira nova.

Sobre a Planetária Deluxe Inox da Arno: comprei por causa da promessa de que ela bate massa de pão. Apesar de ter visto algumas reclamações sobre essa batedeira no site do Reclame Aqui, decidi comprar mesmo assim, porque em outros lugares li críticas boas sobre ela. Além do mais, também precisava de uma batedeira para bolos e coberturas e não podia pagar os absurdos R$2000 de uma KitchenAid. Ok, na verdade eu até poderia se fizesse uma forcinha, mas acho que gastar tudo isso numa batedeira que só vou usar de vez em quando é exagero. Se eu fizesse os meus pães, bolos e cupcakes pra vender, daí sim seria um ótimo investimento. Mas não acho que vale a pena pagar tudo isso num acessório que só vou usar em ocasiões especiais. Então optei por uma mais baratinha mesmo.

IMG_20150309_162007965

Primeiro pão na batedeira nova.

Bem, essa batedeira de fato bate massas pesadas como as de pão e pizza, porém, ao contrário do que o fabricante divulga, ela mal aguenta massas com 500g de farinha. Só dá para bater pão nela se a receita for pequena, ou se te baixar o espírito do Jack, o Estripador e você fizer a receita em partes. No próprio manual de instruções há uma receita de massa que vai 1kg de farinha e nem tentei fazê-la, porque se não aguentou os 500g de farinha da receita de pão que fiz antes, não é com 1kg que vai aguentar. Depois fiz outra receita com pouco mais de 300g de farinha e até bateu bem e a massa ficou perfeita, mas tive que ficar segurando a batedeira com as mãos porque ela tremeu tanto que parecia que ia levantar vôo a qualquer momento.

IMG_20150305_164618579

Ela é grande pra cacete. Se sua pia é pequena, é bom você ter um espaço no armário.

Então pra quem tá pensando em comprar, fica a dica: essa batedeira é simplesmente perfeita para bolos e coberturas, mas se você quer comprar para fazer pão, pizza ou outras massas pesadas, ou você faz receitas pequenas (até 300g de farinha) ou investe em uma KitchenAid.

Agora vamos quebrar o gelo comendo um bolo de chocolate com cobertura de cheesecake e calda de amora?

IMG_20150306_203049560

Bolo:

4 ovos

2 xícaras de açúcar refinado

2 xícaras e 1/2 de farinha de trigo

1/2 xícara de cacau em pó

1 pitada de sal

1 colher de sopa de fermento em pó

2/3 de xícara de leite

1/3 de xícara de óleo

Ligue o forno na temperatura que você sempre usa para assar bolos (a lesada aqui não sabe qual é a temperatura exata, na maioria dos fornos que já usei é o número 3). Bata os ovos até a mistura ficar pálida e fofa. Em seguida misture aos poucos o açúcar e deixe batendo enquanto você peneira e mistura, em outra tigela, a farinha de trigo com o cacau em pó e o fermento. Tem que peneirar bem! Porque uma farinha peneirada melhora o bolo. Além do mais, é bom para desempelotar o cacau em pó. Volte para a batedeira e misture o leite e o óleo, tomando cuidado para não espirrar. Desligue a batedeira e acrescente, aos poucos, a mistura da farinha. Misture delicadamente com uma espátula e finalize batendo na batedeira por alguns segundos, só pra misturar melhor. NÃO DEIXE PASSAR DE 1 MINUTO NA BATEDEIRA! Senão a farinha vai desenvolver o glúten e seu bolo vai ficar uma merda. Aliás, se você realmente confia na sua misturança à mão, nem precisa finalizar na batedeira, eu só faço isso porque seguro morreu de velho (e eu já fiz esse bolo umas 500 vezes, é minha receita básica de bolos de aniversário). Unte uma assadeira, coloque a massa nela, põe no forno por 40 minutos, blá blá blá, acho que todo mundo aqui já fez um bolo ao menos uma vez na vida né? Que bom.

Ah, se você quer uma massa branca, pode substituir a meia xícara de cacau em pó por mais meia de farinha. E se você é intolerante à lactose, pode substituir o leite por leite de coco. Se você quiser fazer as duas coisas (massa branca com leite de coco), também fica muito bom, porque a massa vai pegar o sabor do coco.

PS: se você não tem batedeira, misture tudo à mão mesmo, começando pelos líquidos e colocando a mistura da farinha por último. Só não garanto que o bolo vai ficar tããããão fofinho porque eu nunca fiz essa receita sem batedeira.

Cobertura de cheesecake

150g de manteiga gelada, picada em cubinhos (um tablete tem 200g, corte em 4 e use três partes)

150g de creamcheese, também picado em cubinhos (um pote, eu usei o Philadelphia mesmo)

1 xícara de açúcar de confeiteiro + 2 colheres de copa cheias

1/2 colher de chá de essência de baunilha

Bata a manteiga até ela ficar bem pálida e fofa. Depois disso vá colocando, enquanto bate, os pedacinhos de creamcheese e a essência de baunilha. Desligue a batedeira e misture o açúcar usando uma colher ou espátula, depois volte a bater por uns 2 minutos até incorporar tudo. Não se esqueça de usar uma colher ou um pão-duro para limpar as paredes da tigela. Guarde fora da geladeira, porque você vai precisar que essa mistura ainda esteja mole na hora de colocar no bolo.

PS: é importante usar o açúcar de confeiteiro porque ele é fininho como uma farinha. Se você usar o refinado, vai dar para sentir os grãozinhos. Na primeira vez que fiz essa receita, esqueci de comprar o açúcar de confeiteiro e tentei trapacear batendo o açúcar refinado comum no processador: ele ficou mais fino e ainda deu pra sentir os grãozinhos. Não estragou a receita, ficou boa do mesmo jeito, mas um pacote de glaçúcar custa menos de R$3 e dá pra usar em várias receitas, então não seja pão-duro.

Calda de amora

3 pacotinhos de polpa de amora congelada

5 colheres de sopa de açúcar

1/4 de xícara de água

Misture todos os ingredientes em uma panela de fundo grosso e deixe cozinhar até ficar num ponto um pouco mais mole que calda de sorvete. Eu usei a amora em polpa porque não achei para comprar (nem para roubar de algum pé) aqui na minha cidade, mas se você achar, pode usar 4 xícaras no lugar dos 3 pacotinhos.

IMG_20150306_150502693

O danado montado. Só a calda aparece.

Montagem:

Espere a massa do bolo e a calda de amora esfriarem. Na própria assadeira, umedeça bem a massa do bolo com leite (eu usei exatamente 1 copo de leite para umedecer o meu bolo, mas se você gosta dele BEM molhadinho, pode usar um pouco mais). Depois que o bolo absorver o leite, cubra com a cobertura de cheesecake e depois espalhe a calda por cima. Leve à geladeira por pelo menos 2 horas antes de servir.

Esse bolo é pra comer geladinho mesmo, e é uma delícia porque o azedinho da amora quebra o doce da massa e da cobertura. Huuuuummmmmm!

IMG_20150306_203058485

Diliça geladinha!

August 4, 2014

As Crônicas Tangerínicas: o Tigre, a Paçoca e a Alfarroba

Posted in Coisas gostosas, Comida ♥, Críticas Tangerínicas, Derping Around, Devaneios, Devaneios gastronômicos, Dicas, Diversos, Gordices, Que porra é essa? D:, Selo Fer-chan de qualidade tagged , , , , , , , at 2:57 am by Fer

Só avisando que no post de hoje tem um pouco de revolta e dois devaneios gastronômicos.

Comentando rapidamente sobre o assunto da semana: um pai retardado leva seu filho igualmente retardado num zoológico, o moleque enfia a mão na jaula do tigre e o que acontece? É claro, o tigre fica puto e apenas age como um tigre normal. Não queriam ver a porra de um tigre? É, então.

Vou abrir parênteses aqui só para explicar minha posição sobre zoológicos. Muita gente vai me achar super escrota por isso que vou dizer, mas para expressar a minha opinião sobre animais que não sejam cachorro, gato ou qualquer outro tipo de “pet”, vou parafrasear um amigo meu: ou come ou solta. Sou contra zoológicos e acho que quem vai nesse tipo de lugar e sustenta essa indústria não tem nada melhor que bosta dentro da cabeça. Nunca fui num zoológico, mas sei que nunca vou gostar desse tipo de lugar porque já me sinto mal o suficiente quando vejo um passarinho numa gaiola. E acho que definitivamente não é um lugar que se deva levar crianças porque não acho saudável ensinar aos pequenos que animais expostos em jaulas são uma coisa agradável de se ver. Mas beleza, se tem pais que pensam o contrário, quem sou eu pra julgar a quantidade de merda na cabeça deles.

Não vi os videos que as pessoas que presenciaram filmaram porque amigos me disseram que o tigre praticamente dilacerou o braço do moleque. Não tenho estômago pra essas coisas, então vou me basear nos comentários feitos nos videos.

1 – O moleque provocou o tigre insistentemente. Não sei vocês, mas quando eu tinha 11 anos, já sabia que não se podia brincar com um bicho desse tamanho.
2 – O pai do moleque ficou incentivando ele a provocar o tigre. Esse cara deve ter muito cocô na cabeça.
3 – O zoológico tinha grades de proteção e o moleque, incentivado pelo pai, pulou a grade e ficou lá, correndo de um lado pro outro. Se fez isso com um tigre, imagina o que esse projeto de retardado não deve fazer com cachorros, gatos e animais menores e mais indefesos.
4 – O pai disse à polícia que não viu o menino “brincando” com o tigre porque estava ocupado cuidando do outro filho pequeno, mas testemunhas disseram que ele não só viu como também incentivou o comportamento dele. Eu acho que nesse caso ele estaria errado de qualquer forma, porque se não pode cuidar dos dois, não saia com os dois! SEU RETARDADO!

Foda-se se o zoológico deveria ter alguém fiscalizando isso. QUALQUER IGNORANTE SABE QUE NÃO SE DEVE PROVOCAR UM ANIMAL SELVAGEM. Aliás, até cachorro quando é provocado reage como pode, resultando no sacrifício do coitado depois.

Não, não estou colocando a culpa apenas no menino e nem dizendo que ele mereceu perder o braço. O maior culpado disso tudo é o pai, que não cuidou direito e ainda por cima educou mal, isso é fato. Mas com 11 anos de idade, qualquer pessoa que não tenha nenhum tipo de deficiência mental deveria saber que não se provoca nenhum tipo de bicho, selvagem ou não (mas é claro que as consequências sempre serão piores quando o animal é selvagem).

Sobre o zoológico: não sou de defender esses filhos da puta, mas na minha visão eles não tem culpa alguma. Tinha grades, tinha aviso. Se o pai e o garoto não tiveram a capacidade de respeitar nenhuma dessas duas coisas, não seria um guardinha de zoológico que teria autoridade para parar com a “brincadeira”.

*aguardando video do Cauê Moura sobre o caso*

Momento revolta passou, agora vamos falar de coisa boa.

Hoje em Sampa fiz o Sr. Fernanda me levar no Shopping Bourbon para passearmos um pouco antes de eu voltar para casa. Passamos no Záffari que tem lá (pra quem não conhece, o Záffari é uma rede de supermercados do Rio Grande do Sul) para comprar algo que vem sendo o alvo da minha lombriga há um bom tempo: Paçoquita Cremosa.

IMG_0088

Preço: achei caro, considerando-se que o preço sugerido é R$5,99 pelo pote de 180g. Paguei R$9,60 com um pouco de dor no coração, porque aquela Nutella grande de 350g estava R$9,90. Mas comprei porque a lombriga tava forte e não sabíamos de nenhum outro lugar que vendia isso.

Sabor: achei bem gostosa. Eu diria que é uma versão um pouco mais suave e levemente menos doce que a Paçoquita tradicional. Acredito que tenha sido feito dessa forma para não “enjoar” o consumidor, porque se fosse exatamente o mesmo gosto, ficaria enjoativo. Não sei se deu para entender. Ela tem pedacinhos de amendoim e é bem cremosa mesmo, não é igual ao Amendocrem que é mais durinho. Passei um pouco numa bolacha água e sal e achei que a combinação ficou boa. Não passei no pão porque não gosto de misturar pão com coisas doces, mas quem quiser experimentar fique à vontade. Pão com Nutella é heresia pra mim, Nutella se come com bolacha, não com pão.

Custo-benefício: acho que só pra quem ficar realmente viciado em Paçoquita Cremosa vale pagar quase R$10 por um potinho desse tamanho. O Sr. Fernanda reparou no próprio supermercado que com essa grana você compra um pote de 300-e-sei-lá-quantos-gramas de Paçoquita em formato de rolha ou aquela outra retangular. Se o preço fosse os R$5,99 sugeridos pela empresa, ok, até seria possível. Mas não acho que vale a pena pagar quase o preço de um pote grande de Nutella por um produto que vem metade da quantidade da mesma.

Vou abrir aspas aqui para falar sobre o Amendocrem: comprei um potinho uma vez para rechear cupcakes e também gostei bastante, achei o sabor bem parecido com a Paçoquita e até chamei os cupcakes que fiz de “cupcake de Paçoquita” porque né, se eu falasse “cupcake de Amendocrem” seria capaz das pessoas não quererem comer por não saber do que se tratava. Mas o pote ficou rodando aqui em casa por ser enjoativo. Quem achar que não vale a pena pagar R$10 por um pote de Paçoquita, o Amendocrem é um bom substituto, uma vez que custa metade do preço. Mas já vou avisando que esses dois foram os únicos cremes de amendoim que já comi, então não posso comparar com os outros.

IMG_0087

Uma coisa que eu vejo há muito tempo na parte do caixa de restaurantes aqui na minha cidade é a tal da alfarroba. Ô nome feio, não dá vontade de comer isso se você for só pelo nome. Mas de tão curiosa, acabei pesquisando o que é essa tal de alfarroba e achei esse site.

De acordo com o que diz o site: “A alfarroba, carob em inglês, é o fruto de uma árvore nativa da costa do Mediterrâneo, semelhante à vagem do feijão, de cor marrom escuro e sabor adocicado. O pó que é utilizado para substituir o cacau é derivado da polpa dessa vagem que é torrada e moída. Esse pó, contudo, possui expressiva diferença em relação ao cacau, tanto no seu conteúdo nutricional, quanto em relação à ausência de estimulantes, como a cafeína e teobromina, além de possuir baixo índice glicêmico, de acordo com recente pesquisa elaborada pela Universidade Federal do Paraná.”

alfarroba

Quandi li isso, eu já sabia que o sabor dela não seria exatamente o mesmo que o do chocolate, mas mesmo assim fiquei doida para experimentar. O problema é que esse negócio não é fácil de achar, principalmente em uma cidade pequena como a minha. Os lugares onde eu vejo isso aqui são restaurantes e casas de produtos naturais, mas eles só tem a alfarroba com coco e com banana. Odeio banana e não gosto de nada que tenha coco ralado no meio porque detesto a sensação de morder os pedacinhos, então fiquei esperando o dia em que eu encontrasse essa belezinha pura ou pelo menos com alguma coisa que eu goste no meio.

Acabou que achei alfarroba com castanha de caju numa lojinha de produtos naturais do Bourbon, antes de ir no Záffari comprar a Paçoquita Cremosa. A moça do caixa até tentou me empurrar uma de banana, que era mais cara, mas eu gentilmente disse que odeio banana e que só queria comprar uma barrinha para experimentar.

Sabor: é parecido com chocolate, mas se você é um verdadeiro chocólatra, não substitui o nosso lindo derivado de cacau. Dei uma olhada no site e descobri que esse produto foi criado pensando nas pessoas que são: alérgicas a cacau (eu nem sabia que isso existia), diabéticas, intolerantes à lactose e também quem não pode consumir glúten. Então, se você não tem nenhum desses problemas, não acho que vale a pena substituir. É claro que sempre tem o pessoal natureba que mesmo não tendo esses problemas, vai acabar preferindo a alfarroba por questões de saúde, mas nééééé, quem é gordo de cabeça nunca pensa nisso.

Preço: R$2,10 por uma barrinha minúscula. Só vale a pena se você for intolerante às coisas que citei ali em cima e estiver desesperado por um doce.

Custo-benefício: se eu fosse intolerante a essas coisas todas aí, sinceramente preferiria o Choco-soy, já que é igualmente caro. Já comi uma vez e achei bem mais parecido que o chocolate do que a alfarroba. Se você quiser comprar para experimentar tá valendo, mas para satisfazer o desejo por gordice você precisaria de muitas dessas barrinhas.

E sim, eu como muita porcaria, mas por curiosidade sempre acabo experimentando as versões saudáveis da gordice nossa de cada dia. Afinal, vai que um dia os caras conseguem fazer uma versão saudável com o mesmo sabor. Não custa nada sonhar.

Status: bebendo o que eu desejo profundamente que seja a minha última Coca do mês porque quero muito parar de beber refrigerante. No próximo post eu conto se consegui.

 

***UPDATE***

Todo mundo sabe o quanto está difícil encontrar a Paçoquita Cremosa, então resolvi procurar uma lista de lugares que estão vendendo essa belezinha na cidade de São Paulo. Achei a lista de endereços nesse site aqui.

Vale lembrar que eu comprei a minha (e paguei meio caro) no Záffari no Shopping Bourbon, por isso se alguém aí achar em outro lugar, diga o preço que pagou para ajudar a galera.^^

Adega da Bandeira: Avenida 9 de Julho, 82, Bela Vista.

Comércio de Doces Três Rosas: Rua Três Rios, 147, Bom Retiro.

Mercadinho Expresso: Rua Dona Antonia de Queirós, 470, Consolação.

Mercado Remax: Rua Bela Cintra, 413, Consolação.

Mercadinho Alagoas: Rua Alagoas, 29, Consolação.

Chelly Bomboniere: Rua da Consolação, 323, Consalação.

Doceria Angélica: Avenida Angélica, 2072, Consolação.

Supermercado Carioca: Rua Álvaro do Vale, 412, Ipiranga.

Entre Delícias: Rua Iaiá, 178, Itaim Bibi.

Empório São Pedro: Rua Salvador Risoleu, 340, Jardim Peri Peri.

Empório dos Servidores: Rua Vergueiro, 457, Liberdade

Mercado Caramanti Doces: Avenida Bernardino de Campo, 12, Paraíso

Yamada Bomboniere: Avenida Ipiranga, 318, República

FF. Doces Comercial: Rua do Arouche, 178, República

Sacolão São Jorge: Rua Dom Vilares, 1 700, Sacomã

Hortifruti Nazaré: Praça Professora Emília Barbosa de Lima, 3. Vila Madalena

Shokiti: Rua Gomes de Carvalho, 1 285, Vila Olímpia

Mercadinho e Panificadora Souza: Rua Raul Pompeia, 1 141, Pompeia

Empório Villamarin: Rua Capituba, 106, Vila Regente Feijó

Luck Empório: Rua Aristides Viadana, 180, Vila Romana

Mercado Joy: Avenida Lins de Vasconcelos, 3 329, Aclimação.

BBB Mercearia: Rua Castro Alves, 312, Aclimação.

Mercadinho Nicky: Rua Bueno de Andrade, 323, Aclimação.

Mercadinho Happy Day: Rua Muniz de Souza, 91, Aclimação.

March 28, 2014

Paradoxos alimentares

Posted in Coisas gostosas, Comida ♥, Críticas Tangerínicas, Derping Around, Devaneios gastronômicos, Dicas, Diversos, Gordices, Selo Fer-chan de qualidade, Sobre o lindo ser que vos escreve ♥ tagged , , , at 10:31 pm by Fer

Essa semana eu fiz uma descoberta que vai revolucionar a minha dieta. E também a de quem tiver saco pra ler esse texto até o fim e levar a sério.

Tudo começou quando eu tinha uns 5 ou 6 anos e às vezes ia passar uns dias das férias na casa de uma tia. Às vezes minha mãe não ficava junto, simplesmente me levava e voltava pra casa, para me buscar dias depois, já que ela não tinha tanta disponibilidade de ficar mais que dois dias por lá. Então minha tia e minhas primas me paparicavam muito, me davam tudo o que eu queria (na medida do possível, claro), me deixavam comer tudo o que eu queria, me levavam onde eu queria, enfim, eu era a típica sobrinha que adorava ir até o lugar porque sabia que era sempre festa. E nessa de ~mimar a criança que só vem aqui uma vez por ano~, minha tia até já sabia o que não podia faltar no armário quando me recebia: miojo. Sempre que me perguntavam o que eu queria no almoço, eu logo respondia que queria “a sopinha da Mônica”. Sim, tinha que ser o miojo da Mônica, senão eu não comia. Sim, eu reparava no pacote. E sim, eu chamava de “sopinha” porque minha tia não escorria a água do macarrão e ele ficava aguado, de modo que eu comia aquilo usando um garfo AND uma colher.

Eu tinha overdose de miojo quando ia lá porque aqui em casa esse tipo de comida nunca foi permitida quando eu era criança. Na verdade, até hoje o pessoal ainda olha torto pra miojo, sopas de caneca, salgadinhos e essas outras delícias cancerígenas e entupidoras de artérias. Daí eu visitava essa minha tia e comia as três versões do miojo da Mônica, mas o meu preferido era o de tomate. E ainda é. Eu praticamente só compro desse sabor quando tô a fim de comer isso, a não ser que esteja em falta no mercado onde costumo fazer compras: nesse caso, pego o de carne, mas ainda assim tem que ser o da Mônica. Sei lá, é diferente, parece que é mais gostoso, mas nunca comparei com a composição do miojo normal pra ver se realmente tem alguma coisa diferente além do pacote. Só sei que, depois que fui aos poucos parando de ir à casa dessa minha tia, também parei de comer miojo.

O tempo passa, a Fer cresce, o cão late e o urso panda.

Foi na faculdade que aperfeiçoei minhas técnicas de fazer comida rápida, e voltei a consumir miojo. Não que eu não tivesse tempo de cozinhar, mas a preguiça era enorme. Enjoei rapidamente daquela receita básica, com o macarrão aguado, parecendo lámen. Várias versões foram criadas: com pedaços de frango, de carne, de salsicha (hoje tenho nojo disso), com requeijão, e até substituí o pacotinho de tempero por um pacote de sopa de caneca. Ficou bem cremoso. Ou então apenas a versão clássica mesmo, mas sem ser aguado. Não sei porque, mas criei um asco enorme por miojo aguado.

Ontem, saindo do trabalho, passei no mercado comprar o meu lindo miojo de tomate pra almoçar, já que eu não tinha nada pra comer em casa (leia-se: “não tinha nada já pronto”) e, claro, estava com uma preguiça enorme de cozinhar. Então me deparei com algo que parecia interessante: miojo light de tomate. Fiquei meio com o pé atrás porque eu já havia experimentado um miojo de galinha light ainda esse ano e detestei, não dei nem duas garfadas e tive que jogar o resto na privada porque aquela tranqueira não descia de jeito nenhum. Mas o fato de ter uma versão light do de tomate, que sempre foi meu amorzinho delícia éssidois, me chamou a atenção e resolvi dar uma segunda chance.

ImageTaí o danado.

Agora é a hora em que abro parênteses para deixar claro que não quis experimentar a versão light por motivo de regime, porque eu acho que quem quer emagrecer tem que comer comida de verdade e não essas porcarias. Eu só queria experimentar alguma opção menos gordurosa, pois miojo me pesa um pouco no estômago e eu me sinto anormalmente estufada depois de comer um. Isso também acontece quando como qualquer iogurte grego que não seja aquele lindo do Yogreco da Salute (só o de blueberry, claro, porque os outros sabores são horríveis). Parênteses à parte, decidi comprar dois miojos de tomate: um desse light, para experimentar, e um da Mônica, caso o light fosse tão ruim quanto o de frango…

E NÃO É QUE O BICHO É BOM PRA CARAMBA?

Sério, eu tava esperando ser no mínimo um pouco menos gostoso que o da Mônica, porém melhor que o de galinha. Mas esse negócio me surpreendeu. Ele consegue ser tão gostoso quanto o da Mônica.

Pontos positivos:

– A massa é integral. Não que quem vai comer miojo se preocupe com isso, e não que seja realmente uma grande diferença, e não que eu acredite que foi realmente feito com farinha integral, mas sei lá, pelo menos dá pra enganar o seu psicológico, já que hoje em dia a gente tem essa paranóia de achar que tudo o que é integral é mais saudável.

– Demora menos para cozinhar. Ok, não que um miojo comum demore tanto, mas pra ficar bem molinho do jeito que eu gosto, ele demora.

– O macarrão é mais fino. Provavelmente é por causa disso que demora menos para cozinhar. E eu adoro macarrão bem fininho! *-*

– Ele parece ter menos corante que o da Mônica. O tempero do da Mônica é bem vermelho, enquanto o desse é laranja. Normal, já que coisas light costumam ter menos cor que as coisas normais.

Pontos negativos:

– Ele tem menos sal, então é bom colocar uma pitadinha junto com o tempero. Chuto que isso é porque uma das propostas dessas coisas ~mais saudáveis~ é reduzir a quantidade de sal na composição.

– Ele é mais caro que o miojo comum, mas acho que ninguém fica mais pobre por causa de 30 centavos. A não ser que você coma isso todos os dias. XD

No geral, é um ótimo sabor de miojo e quebrou bem aquela regra do “light é horrível”.

 

Status: puta da vida porque meus bombons não deram certo.

March 5, 2014

Livros, filmes e bolinhos perfeitos

Posted in Coisas gostosas, Comida ♥, Críticas Tangerínicas, Derping Around, Devaneios gastronômicos, Dicas, Diversos, Filmes, Gordices, Livros, Selo Fer-chan de qualidade tagged , , , , , , , , at 5:45 pm by Fer

O Carnaval passou e agora a gente tá curtindo essa chuvinha deliciosa.

O meu feriado foi produtivo: fiz uma maratona de filmes com o sr. Fernanda. Assistimos todos os Harry Potter, já que estamos na vibe de ler os livros. Aliás, tô achando os livros super legais e dinâmicos, mas nunca vou saber se é porque eles são assim mesmo ou se é porque resolvi lê-los depois de terminar os 5 livros d’As Crônicas de Gelo e Fogo do George Martin, que todo mundo sabe que são meio grandinhos. Apesar de eu até agora não ter achado que as adaptações de HP para as telas não tenham ficado ruins como os fãs xiitas sempre reclamam, os livros explicam muita coisa que os filmes nem mencionam.

Além desses, também assistimos Thor II. Só não entendi uma coisa: se tavam dizendo que o Loki não ia mais aparecer, porque é que fizeram um final daquele? Qualquer que seja a resposta, não vejo a hora de ver o Hiddleston nas telonas de novo, porque o verdadeiro vilão desse filme foi bem fraquinho. Coisa que eu acho um absurdo, porque o meu querido Christopher Eccleston merecia um papel melhor.

É claro que filme combina com pipoca e outras guloseimas para você comer enquanto assiste. Então o post de hoje será dedicado à receita de bolinhos parecida com a que eu fiz para eu e o sr. Fernanda comermos no feriadão.

IMG_0459

“OMFG, I’m naked!”

Muffins rápidos e perfeitos de baunilha com gotas de chocolate

Rende 6 bolinhos

Ingredientes:

1 ovo

4 colheres (sopa) de farinha

4 colheres (sopa) de açúcar

4 colheres (sopa) de iogurte natural

3 colheres (sopa) de manteiga

1 colher (chá) de fermento em pó

1 colher (chá) bem rasa de essência de baunilha

4 colheres (sopa) de gotas de chocolate

Modo de preparo:

Ligue o forno. Em uma tigela, usando uma colher, um fouet ou então uma pá de batedeira (já que ela tem o formato parecido com o do fouet), misture todos os ingredientes, menos as gotas de chocolate. A tigela nem precisa ser grande porque a receita é pequena. Tem que misturar muito bem: se aparecerem pelotinhas, esmague elas na parede da tigela usando a colher e continue misturando. Depois que a massa estiver bem misturada e lisinha, coloque as gotas de chocolate e mexa delicadamente para elas se misturarem. Se você achar que são poucas gotas de chocolate, coloque mais uma colher. Preencher no máximo 2/3 da altura das forminhas com essa massa e assar entre 16 e 20 minutos. No meu forno deu 16 minutos certinho, mas nem todos os fornos são iguais, né. Nunca ultrapasse 20 minutos, senão a massa fica seca e meio dura. Deixe esfriar, ou então ataque os bolinhos quentes mesmo.

Bem fácil, né? Eu só sujo a tigela e umas 3 colheres quando faço essa receita. Como ela assa bem rápido, é algo que pode ser feito para comer num lanche da tarde, para reuniões de última hora, ou qualquer outra ocasião. Como já foi falado ali em cima, essa receita rende 6 bolinhos, mas se você quiser mais, é só dobrar a quantidade de ingredientes.

Eu acho que essa receita não precisa de cobertura porque já tem as gotinhas de chocolate no meio, mas se você preferir, pode cobrir com brigadeiro ou com o mousse de chocolate que eu ensinei a fazer aqui.

IMG_0460

IMG_0461

A massa ficou úmida e bem fofinha. As gotinhas de chocolate se concentram mais no meio/fundo do bolinho porque são mais pesadas que a massa, por isso elas dificilmente aparecem por cima do bolinho.

FAQ:

Pode fazer sem as gotinhas de chocolate?

Pode, porque essa massa fica bem fofinha e deliciosa de qualquer jeito. Na primeira vez eu fiz sem as gotinhas e ficou tão boa que o sr. Fernanda quis comer só a massa pura, sem mais nada junto.

Pode substituir as gotinhas de chocolate por chocolate em barra picado?

Nunca tentei. As gotas de chocolate são próprias para irem ao forno, mas o chocolate em barra não é, então ele pode queimar. Mas na verdade, não compensa usar o chocolate picado porque gotinhas de chocolate de marca boa são até um pouco mais baratas que a barra. Uma barra de 170g custa entre R$4,00 e R$5,00, enquanto paguei R$2,49 por 166g de gotinhas numa lojinha de festas perto da minha casa. Então não é interessante usar chocolate em barra, tanto do ponto de vista culinário quanto do ponto de vista econômico.

Pode usar outra essência que não seja a de baunilha?

Pode. A próxima vez que eu for fazer essa receita, pretendo usar uma essência de avelã que comprei e ainda não usei. Acho que fica bom com qualquer tipo de essência, desde que você não exceda a quantidade de 1 colher de chá. E essa colher não pode ser cheia, tem que ser rasa!

Pode usar outras coisas no lugar do iogurte natural, e se sim, quais?

Pode, mas se for algo que tem sabor, é só não colocar a essência de baunilha. Eu às vezes uso leite de coco, pois fica com um sabor de coco ótimo. Substituir o iogurte natural por Danoninho ou algum outro iogurte saborizado também é válido, mas como o sabor do iogurte fica na massa, novamente não ponha a essência. Também dá pra substituir o iogurte por leite comum, mas eu não gosto de fazer isso porque a massa fica mais fofinha com iogurte ou leite de coco.

Pode fazer essa massa de chocolate?

Pode. É só tirar a essência de baunilha (ou qualquer outra que você for usar) e, no lugar, colocar uma colher de sopa de cacau em pó. Não recomendo o chocolate em pó porque ainda não fiz essa receita com ele e não sei qual resultado dá, quem quiser testar fique à vontade, mas não garanto que vai dar certo. O importante mesmo é jamais usar achocolatado nessa receita, porque sempre acontece alguma desgraça na massa quando resolvo usar isso. Nescau é bom no leite, mas horrível no bolo.

Pode colocar pedaços de fruta ou de paçoca no lugar das gotinhas de chocolate?

Nunca testei, mas quem quiser testar fique à vontade e, se não tiver banana no meio, pode me convidar para comer se ficar bom. Se algum dia eu achar mirtilo (blueberry) pra vender na minha cidade, com certeza vou querer testar.

Pode fazer os bolinhos coloridos?

Sim, fica lindo! É só colocar algumas gotas de corante em gel no meio dos ingredientes. Eu não recomendo o corante em pó porque acho que ele deixa gosto na massa, além de dar trabalho para fazer esse danado dissolver completamente. Também não recomendo o corante líquido porque ele é bem fraco, precisa colocar bastante para a cor ficar forte, e isso pode alterar a textura da massa. O corante em gel é perfeito porque bastam poucas gotinhas para a cor ficar forte, além de ele não deixar sabor. Dica: se você fazer essa receita usando o corante, evite usar tigela de plástico branco porque o corante em gel pode manchar alguns tipos de plástico. Se você tiver uma tigela de vidro ou cerâmica é melhor, mas se não tiver, esteja preparado para ter o maior trabalho tentando remover as manchinhas do plástico depois.

February 23, 2014

Aquele post em que a Fer recomenda coisas! (ou não)

Posted in Coisas gostosas, Comida ♥, Críticas Tangerínicas, Derping Around, Devaneios, Devaneios gastronômicos, Dicas, Diversos, Gordices tagged , , , , , at 12:56 am by Fer

Sabe quando você tá naquele tédio, não tem nada pra fazer, todos os seus amigos estão trabalhando ou viajando, e daí você vai para a cozinha tentar fazer alguma receita maluca, mas acaba fazendo os mesmos cupcakes de sempre? Hoje não é um desses dias, porque eu resolvi variar e fiz aquela receita do Danoninho, mas usando ingredientes novos. Já chego nela. Eu prometi a mim mesma que faria um post com recomendações de certas coisas assim que minha linda camiseta da Blue Box Tees chegasse, então como agora eu estou meio entediada, vamos ao post! /o/

Blue Box Tees

O que é: um site americano que pré-vende camisetas de Doctor Who.

Como funciona: a cada semana são colocados seis modelos de camiseta à venda por 12 dólares cada. Você vai lá, compra a sua camiseta, e assim que se esgota o tempo daquela venda, as camisetas vendidas são fabricadas. Dez dias depois de encerrada a venda, as camisetas são enviadas para as pessoas que compraram. Assim que esgota o tempo de uma venda, seis novas estampas são colocadas no site. Por isso, se você gostou de uma, é bom comprar logo, porque eles não costumam repetir.

ImageA estampa da camiseta que eu comprei (sqn) é (ou era pra ser) essa. O motivo dos parênteses será explicado a seguir.

Vantagens: bem prático, você não sofre com o fantasma do “a estampa que eu quero não tem do meu tamanho” e elas são razoavelmente baratas: considerando-se que o frete para o Brasil fica em 12 dólares, ao todo você paga 24 dólares por uma camiseta. Isso dá pouco mais de 50 reais, dependendo da cotação do dólar no dia. Eu considero isso até barato por uma camiseta importada, de qualidade e com uma estampa legal.

Desvantagens: comprei a minha dia 20 de dezembro, mas graças ao maravilhoso serviço prestado pelos Correios do Brasil, ela não chegou. A equipe do site até me devolveu o dinheiro por causa disso. Achei isso muito legal da parte deles, mas não deixo de ficar revoltada com o fato de eles perderem dinheiro por causa de uma coisa que é culpa da má administração dos serviços do meu país.

Se a Fer recomenda: pra quem não se importa em esperar meses para receber o produto e correndo o risco dele não chegar, sim, recomendo. Eu só pretendo comprar de novo se, por algum milagre, a camiseta chegar. Só não sei como vou fazer pra devolver o dinheiro dos manolos do site depois. XD

ImageEles enviam para Gallifrey. Certeza que as encomendas devem chegar antes lá do que no Brasil.

Threadless

O que é: outro site americano que vende camisetas, mas em vez de serem apenas camisetas de Doctor Who, são vários tipos. Tem coisas nerds e artes aleatórias.

Como funciona: não é o esquema de venda por semana igual da BBT. As estampas ficam lá e você pode escolher e comprar a hora que quiser. Os preços variam: as camisetas que me despertaram interesse estavam na faixa de 10 a 25 dólares.

Vantagens: as camisetas que comprei em conjunto com um amigo chegaram. Só o fato de chegar já é motivo suficiente para me fazer recomendar esse site. Fora que as camisetas são de qualidade boa, bem costuradas e a malha delas é super gostosinha! Sem contar que tem frete grátis para compras a partir de 75 dólares. Mesmo com o problema da tarifação explicado no próximo tópico, o valor que ficou cada camiseta no fim das contas continuou “pagável”.

Desvantagens: a compra foi feita em dezembro, e o espírito do pãodurismo fez com que eu e meu amigo nos juntássemos para comprar no site e aproveitar o frete grátis. Mas como na época o limite para compras sem tarifa era 50 dólares, fomos tarifados e tive que ir até uma agência dos Correios pra lá da putaqueopariu da Zona Leste para pegá-las e pagar a deliciosa tarifa de mais de 80 reais. PORÉM, como agora esse valor aumentou para 100 dólares, creio que já dê para fazer uma compra dessa sem pagar as malditas tarifas.

Se a Fer recomenda: oh, sim, sim, sim! A espera vale muito a pena! *-*

Image

Ali em cima, as duas lindinhas, e achei que seria útil colocar o detalhe da estampa dos Doctor Hoos, que eu simplesmente AMEI!

Americanas.com

O que é: site brasileiro que todo mundo conhece e que vende um pouco de tudo, de doces até computadores.

Como funciona: o mesmo de sempre, você compra e recebe em casa.

Vantagens: os preços são bons, e se você pegar uma promoção, ficam melhores ainda. Dá para pagar de várias formas, até mesmo com dois cartões de crédito. O prazo de entrega é ótimo. Os preços oscilam ao longo do dia, por isso, se você tiver tempo e está a fim de comprar um determinado produto, confira várias vezes e só compre quando estiver com o preço baixo.

Desvantagens: só quando no site não tem o que você quer comprar. Tecnicamente isso não é uma desvantagem, mas é que ainda não achei nenhuma e esse campo não poderia ficar vazio.

Se a Fer recomenda: eu não sei como é nesses lugares boca-de-porco que mal tem caixa de correio, mas para a minha cidade, eles dão um prazo de até 15 dias úteis para entrega, após aprovação do pagamento. Porém, todas as compras que já fiz até agora demoraram EXATAMENTE quatro dias úteis para chegar. Quatro dias, nem mais, nem menos. E olha que já comprei livros, notebook, câmera… estou in love por essa loja, sério. Usei o macete de ficar entrando várias vezes ao dia quando comprei meu notebook e consegui um desconto de nada mais, nada menos que 500 reais. QUINHENTOS REAIS!!! Meia hora depois que fiz a compra, ele já havia voltado ao preço original. E isso nem é bug do site, deve ser algum tipo de promoção relâmpago ou sei lá, porque já vi isso acontecer com vários produtos.

Canon Powershot SX160 IS

O que é: uma câmera digital semi-profissional.

Como funciona: você liga, aperta o botão e ela tira a foto.

Vantagens: todas possíveis, se você souber usar.

Desvantagens: por ser uma semi-profissional que custa menos de 400 reais, nenhuma.

Se a Fer recomenda: pra caralho! Não é com qualquer câmera que um mero mortal, que não entende nada de fotografia e que não sabe mexer nesse tipo de aparelho, consegue tirar uma foto da Lua como essa aí embaixo. Imagina só o estrago que uma pessoa que entende e sabe mexer pode fazer com um brinquedinho desse.

ImageSim, fui eu quem tirei. Sim, está sem photoshop. E era mais ou menos 6:30h da manhã.

Cacau em pó

O que é: um ingrediente à base de cacau, que parece chocolate em pó, usado para fins culinários.

Como funciona: você põe na receita e ela fica com gosto de chocolate.

Vantagens: é mais forte que o chocolate em pó, então você pode colocar menos. Colocando menos, rende mais. Ou então você coloca a mesma quantidade de sempre e fica com o bolo e o brigadeiro bem pretões e com o sabor bem forte. Quem é fã de chocolate forte vai amar. E o bom é que você acha ele tanto em lojas de artigos para festas ou supermercados.

Desvantagens: não tem gordura nenhuma, então você precisa colocar um pouco de manteiga a mais na hora de fazer brigadeiro com ele, senão os seus docinhos podem cristalizar. Se bem que pra mim isso nem é uma desvantagem, porque eu adoro aquela casquinha que forma quando ele cristaliza, dá uma textura a mais.

Se a Fer recomenda: ESSE NEGÓCIO É MUITO DO CAPETA! Ele mudou minha vida, cara. Nada me tira da cabeça que, além de dar gosto de chocolate, ele realmente melhora os bolos, porque todas as receitas que já fiz usando isso até agora ficaram muito mais macias. Esse cupcake aí da foto ficou tão fofo que, quando tirei da forma de metal e senti a massa pelo papel, achei que ele ainda estivesse cru por dentro. E não tem nada a ver com a receita ou o modo de preparo, porque sempre faço da mesma forma.

ImageDerreteram na boca. É a receita de cupcake de Danoninho, mas acrescentei uma colher de sopa bem cheia do cacau em pó. É sério, a massa ficou bem mais macia!

Status: bebendo Coca (pra variar), e enrolando pra terminar de assistir Torchwood.

December 18, 2013

E mais bolinhos.

Posted in Coisas gostosas, Comida ♥, Devaneios gastronômicos, Gordices tagged , , , , at 3:12 pm by Fer

Fim de semana passado eu tentei de última hora reunir uma galera aqui em casa pra comemorar adiantado o aniversário de uma amiga nossa. Apesar de um não ter aparecido porque só viu a mensagem ontem, outro ter tido um compromisso diferente no dia, um casal não ter vindo porque o namorado passou mal e o outro casal não ter vindo porque já estavam com ingressos comprados para assistir O Hobbit, deu pra nos divertirmos saindo pra encher a cara depois de comermos os cupcakes que eu fiz.

Ah, também decidi que nunca mais marco coisas de última hora. u_u

ImageOlha só o que vocês perderam, seus puto!

Cupcake de coco com recheio surpresa e cobertura de mousse chocolate

Massa:

4 ovos;

3 xícaras de farinha de trigo;

2 xícaras de açúcar;

2/3 de xícara de leite de coco;

1/3 de xícara de manteiga, eu disse MANTEIGA, não margarina.

1 colher se sopa de fermento em pó.

Ligue o forno. Bata as claras em neve, depois adicione as gemas uma a uma. Vá colocando o açúcar aos poucos, sempre batendo. Depois de bater por uns 5 minutos após colocar todo o açúcar, complete colocando o leite de coco e a manteiga. Desligue a batedeira e vá colocando aos poucos a farinha misturada com o fermento, misturando à mão com o próprio mexedor da batedeira (não sei como se chama aquela porra). Depois de montar as forminhas com a massa e o recheio surpresa (instruções abaixo), asse por 20 minutos. NÃO MAIS DO QUE ISSO.

Recheios surpresa:

Escolha qualquer ingrediente a seguir: Nutella, manteiga de amendoim, pedaços de chocolate meio amargo, branco ou ao leite, brigadeiro, geléia, cream cheese e qualquer outra meleca que você goste. Pro recheio dos cupcakes ficar surpresa, escolha mais de um, claro. Mas se quiserem escolher só um e não fazer a tal da surpresa, tudo bem, só digo que com Nutella fica bem melhor. Dica para os amantes de paçoca: usem e abusem da manteiga de amendoim.

Montagem antes de assar:

Nas forminhas, coloque uma colher de massa, depois um pouco do recheio, e mais uma colher de massa para cobrir. Regra básica em cupcakes: jamais ocupe mais de 2/3 da forminha, senão a massa cresce, cai pra fora e você chora pra limpar o forno depois! A proporção dos recheios é mais ou menos essa:

Nutella, manteiga de amendoim ou qualquer outra coisa mole: uma colher de café bem cheia.

Pedaços de chocolate: se o chocolate for daqueles de barra grande, são 2 quadradinhos, um em cima do outro. Se for barra de Baton (como eu usei), destaque cada “batonzinho” e corte ao meio, coloque as duas metades uma ao lado da outra.

Dá pra fazer sem recheio? Dá. A massa fica bem fofa e já é suficientemente gostosa com o mousse.

Mousse:

1 lata de creme de leite Nestlé;

1 barra de chocolate meio amargo.

Coloque a lata de creme de leite na geladeira um dia antes de fazer o mousse. Na hora de abrir, separe o creme do soro. O soro é aquela parte líquida que fica na lata, dá pra tirar ela fazendo um buraco no próprio creme, já que o creme fica durinho na parte de cima e o soro fica na parte de baixo da lata. Coloque o creme na tigela da batedeira. Quanto ao soro, sei lá, nunca usei essa porra, eu jogo fora, mas quem achar que vai usar pra alguma coisa, fique à vontade. Agora, ligue a batedeira e deixe ela batendo o creme enquanto você prepara o chocolate. Pique o danado inteirinho em pedaços bem pequenos e derreta no microondas, usando um recipiente de vidro ou cerâmica. Coloque 20 segundos, mexa um pouco com uma colher, depois coloque mais 20. Vá de 20 em 20 segundos, porque se deixar mais que isso de uma só vez, ele pode queimar. Repita o processo quantas vezes forem necessárias, mas dificilmente será preciso repetir mais de 3 vezes. Mexa bem o chocolate para o calor se distribuir e derreter todos os pedacinhos igualmente. Desligue a batedeira e misture o chocolate ao creme usando uma colher. Depois de misturar bem, volte a bater até ficar com a consistência de mousse. Deixe essa coisa deliciosa na geladeira por umas 2 horas antes de usar.

Depois do mousse gelar, você pode decorar os cupcakes com ele. Se você tiver um saco de confeitar, ótimo. Se não tiver, dá pra usar uma colher, tomando cuidado pra não ficar parecendo um cocô em cima do bolinho. Por fim, decore com as viadagens: chocolate granulado, estrelinhas, raspas de chocolate e tudo o que sua imaginação permitir!

PS: se quiser dar cupcake de presente pra alguém, sugiro passar numa lojinha de festas e comprar uma caixinha dessas:

Image

Image

Status: bebendo leite com Nescau e esperando meu notebook novo chegar pelo correio.

July 11, 2013

Aquele outro tipo de ciúme

Posted in Coisas gostosas, Comida ♥, Derping Around, Devaneios, Diversos at 3:51 am by Fer

O post de hoje é algo que quero falar já tem um tempinho, mas só agora bateu vontade de escrever. Apesar de ser um texto bem curto.

Sabe quando você gosta muito de uma coisa? Nutella, por exemplo. É uma delícia! Adoro Nutella. E também adoro quando as pessoas que eu gosto também gostam de Nutella. Podemos falar sobre Nutella, trocar receitas e experiências, discutir se combina mais com pão ou com Passatempo sem recheio… os assuntos variam. É fato que é gostoso quando temos tanto em comum com as pessoas com as quais temos afinidade.

Agora… e se uma pessoa que eu não gosto também amar Nutella? Cara, essa pessoa é tosca e eu acho que ela não merece Nutella. Não sei se penso dessa forma porque odeio ter coisas em comum com a pessoa tosca, ou porque eu realmente acho que a pessoa tosca não merece gostar de coisas boas. Sei lá, talvez sejam as duas coisas. Nunca entendi porque me sinto assim.

E agora deu vontade de comer Nutella.

TennantDaviesInterview1-thumb-550x415-30833

Se você é só um babaca, beleza.

Se você é um babaca que gosta de Doctor Who, sai de perto de mim, por favor.

June 24, 2013

OMFG it’s so much cheeeeeeeeeese!

Posted in Coisas gostosas, Comida ♥, Devaneios gastronômicos, Dicas, Gordices at 9:36 pm by Fer

Hoje um amigo me pediu uma receita que eu já havia passado para ele há não sei quando tempo atrás, mas depois de eu ter digitado a dita cuja quase inteira no chat do Facebook, ele disse que já tinha procurado em outro lugar. É claro que eu fiquei meio puta, mas graças a isso ele me deu, indiretamente, a ideia de uma nova sessão para o blog: receitas de república.

E para estrear essa sessão nova, a receita que foi pedida pelo meu amigo: o molho branco da Fer. Na verdade, a origem dessa iguaria se chama molho Béchamel (se lê “bêchãmél”), e se difere do molho branco tradicional porque não vai creme de leite na receita. Já o molho branco da Fer é uma pequena adaptação do molho Béchamel.

Molho Branco da Fer

Ingredientes e utensílios:

  • 2 colheres de sopa de manteiga (também serve aquela margarina que tá na geladeira há 2 meses e ninguém sabe de quem é, mas fica melhor com manteiga)
  • 3 dentes de alho triturados (ou 1 colher de sopa de alho em pasta, já que pouca gente tem saco pra ficar picando, isso quando tem alguém na república que sabe fazer isso)
  • 2 colheres de farinha de trigo
  • 3 ou 4 copos de leite (de preferência em temperatura ambiente)
  • Quanto for necessário de queijo. Qualquer queijo serve, desde que seja daqueles que derretem. Eu costumo ir colocando a olho até a textura do molho ficar do jeito que eu quero, então vou usando o que encontro na geladeira. Normalmente coloco algumas fatias de mussarela (uma por vez), parmesão ralado, umas colheres de requeijão e às vezes algumas apertadas de bisnaga de catupiry. Já cheguei a colocar queijo meia-cura, queijo prato, cheddar e outras coisas que não lembro.
  • Um pouquinho de sal. A quantidade nunca é certa, pois se você colocar bastante queijo, ele já vai salgar o molho, então vai pouco sal; se for pouco queijo, mais sal. Tem que ir experimentando.
  • Salsinha picada. Tem que ser fresca, a de pacotinho é horrível. Se você não tiver salsinha em casa ou tiver preguiça de picar, faça sem ela mesmo.
  • Pimentas e outros temperos a gosto (menos orégano, porque orégano nesse molho fica muito do mal).
  • Panela (aquela de fazer miojo serve)
  • Colher de pau
  • Copo grande (serve aquele copo velho de acrílico que você ganhou comprando um combo no Burger King ou qualquer outro que seja maior que copo de requeijão)
  • Fogão (não, não dá pra fazer no microondas)

Modo de preparo:

Pegue o copo grande e encha até a metade de leite. Coloque as duas colheres de farinha e mexa bem até dissolver (dica: é mais fácil mexer usando um garfo ou aquela coqueteleira laranja que veio nos shakes da Dr. Oetker). Se você não tiver preguiça de lavar louça ou se na sua república tiver um bixo pra fazer isso depois, é válido usar o liquidificador, porque é meio chatinho misturar isso aí à mão. Nunca tentei isso na batedeira, mas fica a dica. Reserve.

Na panela, coloque a manteiga e deixe derreter em fogo baixo, de preferência na menor boca do fogão. Assim que ela derreter completamente, coloque o alho, aumente um pouco o fogo e frite até dourar levemente. Eu disse LEVEMENTE, nada de deixar essa porra queimar, senão você estraga o molho inteiro! Assim que o alho dourar, jogue lentamente o leite com farinha que você misturou ali em cima. Assim que você colocar essa mistura, não pode parar de mexer, então é bom ter todos os ingredientes separados.

Vá mexendo e acrescentando o resto do leite aos poucos. A quantidade varia entre 3 e 4 copos porque tem gente que prefere o molho mais grosso, enquanto tem gente que prefere ele mais ralo. Assim que colocar todo o leite, vá adicionando o queijo, também aos poucos, poucos pedacinhos por vez. No caso da mussarela, quanto mais você colocar, mais “puxa” o molho vai ficar. Eu gosto muito dessa textura, então sempre ponho bastante mussarela. ^^

Assim que todo o queijo derreter e se misturar ao molho, deixe ferver por uns 5 minutos em fogo baixo, sempre mexendo. Se você se cansar, põe o bixo pra mexer no seu lugar, mas toma cuidado pra ele não fazer merda e queimar o molho. Experimente pra sentir se está bom de sal, e adicione os outros temperos que você quiser. Desligue o fogo, coloque a salsinha picada e mexa bem.

Dica bônus: depois do molho pronto, você pode colocar frango desfiado, carne moída, palmito, ervilha, enfim, pedacinhos de várias coisas para dar um up na receita e deixar a gororoba ainda mais gostosa.

Depois é só usar esse molho como você bem entender: na batata assada, no macarrão, na panqueca, no arroz de forno, no bife, no filé de frango, dá até pra colocar em cima do steak ou nos nuggets, ou para substituir o creme de leite do strogonoff.

Agora é só fazer o seu próprio molho e om nom nom nom nom! :3

May 9, 2013

Just something random

Posted in Coisas gostosas, Comida ♥, Devaneios, Dicas, Diversos at 12:56 am by Fer

Hoje eu acordei me sentindo estranhamente bem. Não sei se é porque finalmente saí daquela porcaria de colégio onde eu trabalhava e agora fiquei livre às quartas e sextas-feiras, ou se foi porque hoje saiu o pagamento, ou se foi porque minha pele finalmente parou de doer depois da esfoliação do capeta que eu fiz na semana passada. O fato é que estou feliz e resolvi escrever aleatoriamente aqui.

Sobre o colégio onde eu trabalhava: ele tem fama de ser o melhor da cidade (também, com a mensalidade que é paga, tem que ser mesmo), mas eu não estava gostando nem um pouco de dar aula naquele lugar. Sei lá, acho que a culpa é minha, já que eu não tenho a menor paciência com criança mal educada. Sair desse colégio me tirou um peso enorme das costas e posso dizer com segurança que 90% da tensão que eu sentia antes praticamente desapareceu!

E como hoje tive o dia livre, fui ao centro da cidade fazer algumas coisas. Paguei minhas contas, e fiz várias dessas coisinhas que a gente faz quando tá andando por aí. Acabei comprando uma camisetinha nova e também um protetor solar ótimo, da Neutrogena FPS 60! Tava precisando muito de um, por causa das marcas nos meus braços. Ele tem uma textura ótima e a pele fica sequinha, adorei!

Outra coisa boa que aconteceu: depois de almoçar, foi a primeira vez na minha vida que saí do restaurante com uma caixinha de mini-Eskibon e consegui comer ela inteira sem nenhum mendigo na rua pedir. Esses sujeitos me perseguem, nunca consigo sair de algum lugar consumindo qualquer coisa quando tô sozinha, porque sempre aparece algum pedindo e na hora eu fico com dó, então acabo entregando. Vira e mexe eu saio toda feliz de uma lanchonete com uma coca na mão e a wild mendigo appears DO NADA e pede “um gole”. Sempre dou a coca inteira porque né… tenho dó, mas não consigo deixar de ficar puta com isso.

Queria encontrar um presente de dia das mães para a minha velha, mas não achei nada legal, então amanhã vou ter que sair pra ver isso de novo. Odeio ter que escolher presente para pessoas “normais”, porque sempre fico com aquela sensação de “ela só disse que gostou pra não me deixar triste”. É bem mais fácil presentear pessoas nerds, tem tantas opções! Mas ok, se não achar nada legal, vou acabar apelando para aqueles kits d’O Boticário. Que é presente de quem não sabe o que dar, mas sempre acaba agradando. Quem é que não gosta de coisas cheirosas? Até eu fico feliz quando ganho algo assim.^^

Tô ansiosa pra chegar o Dia da Toalha. Além de participar da marcha e o caramba, ainda vou fazer isso junto de uma pessoa muito especial. E isso já vale o passeio todo! *-*

Image

Lazy Panda is lazy.

November 20, 2012

Suco é suco.

Posted in Coisas gostosas, Comida ♥, Críticas Tangerínicas, Devaneios gastronômicos, Dicas, Diversos, Gordices, Sobre o lindo ser que vos escreve ♥, sou lesada pra caramba. tagged at 9:50 pm by Fer

Tô pensando em fazer um post a cada absurdo gastronômico que acontece comigo, porque olha… tá foda. Vamo lá.

Eu adoro leite. Ok, hoje eu deixo vocês fazerem piadinhas com isso. Mas falando sério, acho meio difícil alguém não gostar de leite. Leite é gostoso e saudável. Tem gente que prefere gelado, tem gente que prefere morno e tem gente que ama queimar a língua. Tem gente que bebe puro, ou com café, ou com banana, ou com Nescau, ou com pera e Ovomaltino, ou com Nesquik e até mesmo com Sustagem de Morango… e quem é adepto da arte de economizar com comida para encher a cara na festa da semana, costuma tomar com Xocopinho ou Linacau (já dizia sabiamente uma ex-colega de república minha: “Linacau mudou minha vida, cara!”). Gostosas ou ruins, saudáveis ou radioativas, caras ou baratas, essas são coisas que combinam com leite.

Agora… se tem uma coisa que eu gostaria de saber, essa coisa é: quem foi o filho de uma porca leprosa que inventou esse negócio de “suco com leite”? Porra, suco é suco. Leite é leite. Gastronomicamente falando, poucas coisas me deixam mais puta do que encontrar maionese no lanche ou pedir um suco e aquela merda vir com… leite. Tá, tem gente que gosta dessa merda, mas porque diabos os balconistas da lanchonete nunca perguntam se você quer a porcaria do suco com água ou com leite?

Daí eu digo: nunca tenho esse tipo de problema quando peço Coca.

Next page