June 29, 2015

Resenha – Lápis de cor Koh-I-Noor Mondeluz

Posted in Arte, Críticas Tangerínicas, Devaneios, Dicas, Gordices tagged , , , at 3:41 am by Fer

Esse fim de semana eu me entupi de Nutella. Comi com pão de queijo (parece nojento, mas fica muito bom!), com bolacha e até fiz chocolate quente de Nutella. Daí tem gente dizendo pra pararmos de comer Nutella, porque vai óleo de palma na receita e aparentemente o cultivo da palma afeta o ecossistema asiático.

É claro que vamos parar de comer essa delícia, afinal:

1 – O óleo de palma só é usado na Nutella, não serve pra outra coisa.

2 – As áreas usadas para o plantio da palma automaticamente voltarão a ser florestas.

3 – A soja, a azeitona e outras plantas usadas para fazer outros tipos de óleo não contribuem com o desmatamento de nada.

Agora se você acha que vai salvar o mundo parando de comer Nutella ou se você acha que não fui irônica ali em cima, faça um favor para a humanidade e se enforque, por favor.

No post anterior eu comentei sobre os lápis aquareláveis Mondeluz que adquiri recentemente. Você praticamente não vê resenhas sobre esses lápis por aí (principalmente em português), então me sinto na obrigação de compartilhar minhas impressões sobre esse material com quem fala o meu idioma.

Fiz uma pequena comparação com os da Faber-Castell, também aquareláveis. Tá, é uma covardia extrema comparar um lápis importado super foda, macio e pigmentado com os que são produzidos aqui no Brasil, mas hey, isso aqui é só uma resenha. Se não comparar com o lápis que a maioria das pessoas tem acesso, vou comparar com o que? Lá vai.

Preço

Primeiro de tudo,vamos falar sobre o preço. Para ficar justo, vou pegar o preço do Mondeluz de 36 cores em vez do de 72, que é a minha caixa. Detalhe: pesquisei onde cada um deles é mais barato.

Faber-Castell 36 cores: R$49,90 na Kalunga.

Mondeluz 36 cores: R$137,65 na Fruto de Arte.

Conclusão: o Faber leva uma vantagem gigantesca no preço.

Cores

Agora o que interessa, que são as cores: já vou avisando que não vou colocar todas elas aqui. Primeiro, porque minha caixa do Mondeluz tem 72 cores e minha caixa de aquareláveis da Faber-Castell tem apenas 36. Então peguei apenas algumas poucas cores de cada. Para ser justa, escolhi as cores mais próximas entre as duas caixas: preto, vermelho, bordô, azul da Prússia, verde água, verde folha, amarelo e laranja escuro.

Aqui eu usei as cores puras, sem misturar ou aquarelar, apenas formando um degradê de leve. As de cima são Faber e as de baixo são Mondeluz.

Teste de lápis 01A primeira coisa que dá pra notar com isso é que o papel parece deixar a textura mais evidente com o Mondeluz. Isso porque, por ser mais macio, foi necessário fazer menos pressão nos lápis. Qualquer risquinho que você faz deixa bastante cor no papel e é preciso ter cuidado quando você precisa de cores suaves. Já os da Faber mostram menos a textura do papel porque foi preciso fazer mais pressão para as cores saírem.

Notem a diferença entre o azul da Prússia. Na minha opinião, foi a diferença mais gritante, já que eu uso bastante esse azul. O da Faber tem o corpo bem escuro que engana quando você vai pintar, mas na hora de riscar com ele, a cor sai muito clara.

Conclusão: Mondeluz leva vantagem na veracidade das cores.

Aquarelando

Agora vamos pegar um pincel molhado e aquarelar pra ver como fica!

Teste de lápis 02Esse papel é exatamente o mesmo dali de cima, que escaneei de novo depois de aquarelar. À primeira vista, as cores são bem parecidas, mas a primeira coisa que você nota é que algumas cores dos lápis da Faber não se dissolvem totalmente. É por isso que a maioria das pessoas fica frustrada quando usa o pincel úmido depois da pintura. Já o Mondeluz fica com pouca ou nenhuma marca embaixo do papel.

Outra coisa que notei foi o grau de pigmentação dos lápis, mostrado pelas bordas da parte aquarelada. Vamos dar um zoom em uma das cores e colocar uma ao lado da outra para ver melhor:

Teste de lápis 03A quantidade de água usada nas duas foi exatamente a mesma, mas é gritante que o verde da Faber, à esquerda, além das horríveis marcas do lápis, ficou sem a borda característica de tintas bem pigmentadas. Já o verde do Mondeluz, à direita, ficou com a bordinha bem marcada. Isso é porque o da Faber tem menos pigmento na composição.

Conclusão: Mondeluz leva vantagem na pigmentação.

Misturando

Agora vamos falar em como esses lápis se comportam quando se faz mistura de cor com eles.

Teste de lápis 04Se eu fosse misturar tudo o que eu gosto, esse post ficaria enorme. Então só misturei as básicas: azul com amarelo pra formar verde, amarelo com vermelho para formar laranja e vermelho com azul para formar violeta. E ao lado, uns degradês básicos de azul com verde e de laranja com vermelho. Na metade de baixo de cada uma dessas manchas, usei o lápis branco com força. É essa uma das grandes utilidades do lápis branco: se comportar como um blender, ou seja, ajudar a misturar as cores e eliminar os branquinhos do papel.

Novamente, as cores de cima são Faber e as de baixo, Mondeluz. Se vocês prestarem atenção, os lápis se misturam mais ou menos na mesma intensidade. A grande sacada dessa vez é mostrar como o branco se comporta: enquanto o da Faber é pouco pigmentado, ele só se comporta como um blender. Já o branco da Mondeluz, além de agir como blender, ele também clareia. Isso é porque o Mondeluz é bem mais pigmentado e se sobrepõe até mesmo por cima de cores mais escuras. Quando não quero clarear as cores, uso o lápis branco da Faber por cima dos Mondeluz sem medo de ser feliz.

Conclusão: os dois se comportam de forma similar no quesito mistura de cores, mas o fato do branco da Faber não clarear as cores não é uma desvantagem, assim como o branco do Mondeluz clarear as cores nem sempre é uma vantagem. Então nesse ponto os dois estão pau a pau.

Cobertura

No post anterior, mostrei alguns desenhos que foram feitos em papel marrom, então achei que seria legal compartilhar minha experiência usando os lápis em alguns papéis coloridos que tenho aqui. Como o preto se sobrepõe a todas as cores facilmente, eu o substituí pelo branco nesse teste. Como sempre, os de cima são Faber e os de baixo são os Mondeluz.

Teste de lápis 05Como vocês podem ver, a diferença mais gritante é o branco e o amarelo. Enquanto o da Faber fica meio transparente, o Mondeluz cobre bem a superfície do papel. E com as outras cores não é diferente.

Conclusão: Mondeluz leva vantagem na cobertura de papéis coloridos.

Espessura

Uma outra diferença que não sei se dá para perceber na foto abaixo: os lápis Mondeluz são um pouquinho mais grossos que os da Faber. Isso porque a mina deles é de 3,8mm, enquanto a mina da Faber é de 3,3mm (assim como a mina da maioria dos lápis aquareláveis vendidos no Brasil). Logo, se a mina é um pouco mais grossa, o corpo do lápis acompanha essa diferença de tamanho. Na verdade, a maioria dos lápis importados tem a mina de 3,8mm, inclusive os da linha importada da Faber-Castell.

Conclusão: Mondeluz leva vantagem por ser mais grosso e, logo, durar um pouco mais.

Por último: mostrando uma foto dos lápis usados nesse post para que vocês possam ver informações básicas, como o número da cor, código, o corpo bonitinho dos lápis, essas coisas.

IMG_0488

A conclusão no geral sobre esses lápis? Na verdade não tem. É injusto eu dizer que Mondeluz é melhor que Faber, pois as vantagens vem junto com o preço alto. Daí depende do que você vai fazer com os lápis. Vai usar para vender desenhos ou pra pintar livrinho? Vai usar para a sua faculdade de design e artes plásticas ou você desenha por hobby? Tem que levar muita coisa em consideração:

– Eu particularmente acho uma besteira usar lápis caros como esses em livros de colorir, mas se a pessoa tem essa grana toda pra gastar com um hobby, tudo bem. Eu mesma desenho por hobby e uso tanto os lápis da Faber quanto os Mondeluz.

– Se você vai vender seus desenhos, não é justo com o seu cliente se você usar lápis baratos. A cor deles não dura muitos anos e o desenho ficará desbotado em pouco tempo. O cliente paga por algo que deveria durar, então a sua obrigação é entregar um trabalho que dure, feito com lápis e papel de qualidade.

– Seus desenhos não vão ficar mais bonitos se usar um material mais caro. Tem muita gente que faz trabalhos incríveis com uma caixinha de 12 cores de lápis vagabundo, enquanto eu considero bem medíocres os meus trabalhos com minha caixa de 72 do Mondeluz. Um material bom apenas vai potencializar seu trabalho, e talvez valorizá-lo um pouco, mas nunca vai substituir anos de esforço e treinamento.

– Para usar na faculdade eu acho válido os lápis importados, pois muitos dos trabalhos que fiz durante o meu primeiro ano (2008) já estão bem desbotadinhos. Várias coisas que se faz nessa época acaba indo para o portfólio do artista. É uma pena que a grande maioria dos universitários não tenha grana para investir em materiais bons. Uma máquina do tempo me seria bem útil agora.

Advertisements

6 Comments »

  1. Vania Lima said,

    Pode me dizer qual a procedência dos verdadeiros lápis Mondeluz?
    aguardo resposta no meu email. Não sei se falsificam ou não.
    Obrigada
    annla40@uol.com.br

    • Fer said,

      Boa noite, Vania.
      Não entendi sua pergunta. Não existe Mondeluz falsificado. Lápis de cor não é uma coisa que dá para falsificar porque quem compra sabe o que está usando. Não é como falsificar um tênis ou um óculos, no qual só a aparência basta.

      • Vania Lima said,

        Boa noite!!

        Então, sobre lápis Mondeluz. No Ailexpress são baratos, mas demorados. No Mercado livre, quase o dobro do preço e nas livrarias o dobro e mais alguma coisa. Uma caixa com 120 vem com apontador, pincel, outra, em latinha, com a ponta dourada. Mondeluz é da República Tcheca, mas não são falsificados na China, por virem com preços tão baratos? Ou são caixas diferenciadas?
        Nem sempre quem compra, sabe o que está usando, ou vai usar, no meu caso por ex. Sei das referências, dos bons comentários sobre os lápis, mas nunca peguei em um, não conheço a textura. Mas como eu, existem milhares de pessoas assim, juntas agora pelos livros de colorir.
        Já li muitas pessoas falando de lapis bons. Você foi a que mais conseguiu me convencer nas experiências. Made in China tem o mesmo valor que made in Repúblicas tcheca?

        Sou meio leiga e estou na maior indecisão.
        Obrigada pela resposta e fico no aguardo dessa também.

    • Fer said,

      Primeiro: Aliexpress demora mesmo porque na maioria das vezes vem da China (às vezes vem de Hong Kong, às vezes de Taiwan, mas enfim, vem tudo da terra dos comedores de pastel de flango). Tudo o que é importado demora MUITO mais pra chegar na sua casa do que o que já está aqui no Brasil. Eu mesma tô esperando uma caixa de outra marca que comprei há quase 2 meses e essa budega ainda não chegou.

      Segundo: o lápis que vem da China é exatamente o mesmo que o vindo da República Tcheca porque os chineses compram diretamente da Koh-I-Noor, só que como eles compram zilhares de unidades, rola um desconto enorme no final das contas. Quem ganha desconto na hora de comprar pode cobrar mais barato na hora de vender.

      Terceiro: porque esses lápis no Brasil custam caro? Porque todo mundo que vende os lápis aqui, compra da China, já que é mais fácil do que comprar diretamente da Koh-I-Noor. Você não espera que uma pessoa compre uma caixa por R$100 e venda pelos mesmos R$100, né? Ninguém é tão bonzinho assim. Se a pessoa tá vendendo é porque ela quer ter lucro. Tem gente que coloca o preço lá em cima por causa da dificuldade das pessoas em comprar? Sim, infelizmente, eu acho isso uma bosta, mas fazer o que? O produto é seu, você vende pelo preço que quiser.

      Quarto: sobre a diferença de preços é, a caixa de papelão é bem mais barata que a caixa de metal. Justo, já que fica muito mais caro produzir a caixa de metal do que a caixa de papelão, além de ela ser mais linda e o corpo do lápis ter um acabamento mais bonitinho. Mas a mina (que é o que importa, pois você não desenha usando a madeira do lápis) do lápis da caixa de papelão é exatamente a mesma da caixa de metal.

      Ou seja¹: os chineses compram da República Tcheca e revendem para o resto do mundo.

      Ou seja²: a qualidade dos lápis é a mesma, mas a caixa de papelão é mais econômica e a de metal é mais afrescalhada.

  2. Amanda Rôde said,

    Moça, preciso de sua ajuda, estou querendo comprar uma caixa da sua, tb desenho :3, mas ouço falar que vão taxar em ate 60%, te taxaram? e em qual o vendedor vc comprou? queria saber essas coisinhas pra dar mais segurança 🙂

    • Fer said,

      Moça, desculpa a demora em responder.

      Eu comprei minha caixa com uma vendedora no Mercado Livre, e como a caixa era usada, ela me vendeu por um preço abaixo do mercado. Por isso, não tenho como indicar algum vendedor da China. Mas comprar no Aliexpress é simples: basta procurar algum vendedor que tenha boa reputação com clientes brasileiros. Dá pra ver isso na sessão de comentários, no qual aparece a bandeira do país da pessoa que comentou. Se tem comentários bons de brasileiros, pode confiar.


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: